L-Isoleucina: saiba o que é, para que serve e seus benefícios

Gostou? Compartilhe!

Se você é atleta ou praticante de exercícios físicos e usa o BCAA, um dos suplementos esportivos mais eficazes no ganho de massa muscular, já deve ter parado para se perguntar qual é a função de cada um dos aminoácidos presentes em sua composição no organismo.

O produto é composto por três dos nove aminoácidos essenciais de que o corpo necessita, que são os de cadeia ramificada: a valina, leucina e isoleucina. Estes nutrientes não são produzidos naturalmente pelo corpo e, por isso, precisam ser obtidos por meio da alimentação ou suplementação para manter o organismo funcionando adequadamente e, é claro, promover o ganho de massa muscular de forma mais rápida e saudável.

No artigo de hoje, você vai conhecer mais sobre a Isoleucina e o seu papel na construção da musculatura corporal. Se você toma BCAA e quer entender como esse aminoácido atua no seu organismo, continue lendo esse post e saiba o que exatamente ele é e para o que serve. Vamos lá?

O que é a L-Isoleucina?

l-isoleucina

Como você já deve saber até aqui, a isoleucina é um dos três aminoácidos de cadeia ramificada (BCAAs) que estão presentes no seu suplemento alimentar e em alguns alimentos.

O nutriente está entre os nove aminoácidos essenciais que não são produzidos pelo organismo e que devem consumidos por meio da alimentação e suplementação. Ao lado da valina e da leucina, a isoleucina é capaz de promover a síntese de proteínas e aumentar a captação e utilização da glicose pelas células musculares durante as atividades físicas, aumentando o estoque de energia no corpo.

Depois da sua ingestão, o aminoácido é absorvido pelo intestino delgado e transportado através do sangue até o fígado, onde uma quantidade será usada para a síntese proteica e outra parte para a catabolização, em conjunto com a vitamina B12, para aumentar a produção de energia.

Para que serve?

Dentre as principais funções da isoleucina estão a sua capacidade de atuar no metabolismo energético, fornecendo mais energia aos músculos, e ajudar na recuperação dos músculos após os treinos.

No entanto, junto com os outros dois BCAAs (a valina e a leucina), o aminoácido em questão também pode servir como precursora da alanina e da glutamina, outros dois aminoácidos que são essenciais para o fornecimento de energia durante os treinos de alta intensidade.

Além disso, a isoleucina também pode ser eficaz no controle dos níveis de açúcar no sangue, bloqueio da eliminação da vitamina B3 pelo rim e aumento da produção de hemoglobina.

Quais são os seus benefícios?

isoleucina-para-que-serve

Apesar de todas as funções que ela desempenha nos músculos a fim de aumentar o ganho de massa muscular, este não é o único benefício que o aminoácido no organismo. Veja:

Aumenta a produção de energia

A isoleucina é um aminoácido capaz de fornecer mais energia ao corpo, uma vez que influencia no metabolismo energético. Ao ser “quebrado” e transformado em uma molécula conhecida como acetilcoenzima A (Acetil CoA), o aminoácido pode ser utilizado como um combustível pelas células musculares, principalmente quando há um baixo consumo de carboidratos (que são a principal fonte de energia) na dieta.

Favorece a queima de gordura

Uma das principais características dos aminoácidos de cadeia ramificada, como é o caso da isoleucina e, também, da leucina, é estimular a utilização de gordura corporal como fonte de energia para o metabolismo. Por isso, ao consumir este poderoso aminoácido na sua suplementação ou alimentação, é possível perder alguns quilos na balança de maneira mais rápida e, ainda, ganhar massa magra.

Promove a síntese de proteínas

Apesar de não estimular diretamente a síntese de proteínas nos músculos, a isoleucina é considerada indispensável para a construção do tecido muscular. Por ser um dos “tijolos” que formam a “casa” das proteínas, o aminoácido é um grande aliado de quem quer ganhar massa magra.

Ajuda na formação de glicose e corpos cetônicos

O nosso organismo também utiliza a isoleucina para obter duas outras moléculas conhecidas como glicose e corpos cetônicos. Estas servem para fornecer energia ao corpo e podem ser sintetizados a partir da isoleucina em alguns órgãos, como o coração, prevenindo doenças cardiovasculares e a diabetes 2.

Alimentos ricos em L-Isoleucina

alimentos-ricos-em-isoleucina

Mesmo sendo consumida na maioria das vezes em forma de suplementos, a isoleucina também pode ser encontrada em alimentos comuns na nossa dieta. Entre eles estão: a soja e seus derivados, carnes e peixes, ovos, laticínios e vegetais, como feijão, lentilha e grão de bico.

Suplementação com L-Isoleucina

Além de se beneficiar dos efeitos da isoleucina através da alimentação, o aminoácido também pode ser conseguido através da suplementação, como o BCAA, que você já conheceu aqui no blog. No entanto, diferente dos alimentos, a isoleucina deve ser ingerida em forma de suplementos sempre em conjunto com os outros dois aminoácidos de cadeia ramificada, que são a valina e a leucina.

Neste caso, você deve verificar na embalagem se há a quantidade de duas partes de leucina e valina para uma parte de isoleucina. Ou seja, sempre que houver 2 mg de leucina e valina, deverá haver 1 mg de isoleucina no seu suplemento alimentar.

Leia também: Como tomar BCAA? Antes ou depois do treino?

Qual é a quantidade diária recomendada?

A dosagem recomendada para consumo por dia é de, no mínimo, 600 a 700 mg de isoleucina, o que pode ser conseguido facilmente a partir da alimentação. O consumo deve ser de 10 a 12 mg do aminoácido por quilo de peso. No caso de quem quer aumentar a massa muscular, a quantidade pode ser maior, dependendo da orientação do médico ou nutricionista.

Efeitos colaterais

Apesar de ser altamente benéfica para a saúde e para o ganho de massa muscular, o consumo inadequado da isoleucina, seja excessivo ou deficiente, pode causar alguns efeitos colaterais. No caso de pessoas com doenças renais, o seu uso está proibido, uma vez que a ingestão de uma alta quantidade de proteínas pode resultar em danos graves aos rins.

Sintomas do excesso de isoleucina

Como falamos acima, no caso de quem sofre com problemas renais, o consumo excessivo de isoleucina poderá resultar em danos aos rins. Por isso, será necessário reduzir o consumo de isoleucina (e proteínas no geral). No caso de pessoas saudáveis, o efeito mais comum é o de urinar com maior frequência.

Sintomas da deficiência de isoleucina

O consumo defasado de isoleucina poderá causar tonturas, sentimentos de depressão, fadiga muscular e maior propensão ao estresse. Em geral, a deficiência do aminoácido no organismo é mais comum em indivíduos que consomem pouca proteína, como no caso dos vegetarianos. A dica para atletas ou pessoas que treinam à altas altitudes poderão precisar de maior quantidade de isoleucina, pois ela esgota-se mais rapidamente.


Gostou? Compartilhe!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *